Tite explica motivo para poupar jogadores do Flamengo na Copa Libertadores

A derrota do Flamengo para o Bolívar-BOL, nesta quarta-feira (24), pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, passou muito pelas escolhas de Tite. O treinador não levou força máxima para La Paz e foi questionado.

O Flamengo iniciou o duelo, que valia a ponta do Grupo E, com oito modificações do time que costuma atuar na maioria dos jogos. Com o revés, o Fla fica cinco pontos atrás da própria equipe boliviana e vê a liderança muito distante.

“A ciência já está há bastante tempo ali, não é nenhuma novidade, está desde o tempo que eu jogava. A quantificação de carga traz atletas que têm essa condição e com todo o suporte que o Flamengo dá. A responsabilidade é minha, porque a definição da equipe é minha, mas eu tenho muita lucidez de não estourar um atleta numa sequência de jogos e perdê-lo na sequência. Aí fica muito fácil. A qualidade técnica começa a se perder, começa a errar passe”, comentou o técnico, completando sobre a estratégia antiga no futebol:

“Respeito a pergunta, mas não é nenhuma novidade ciência no futebol, é só procurarmos informações verdadeiras: risco e estratégia. A opção foi em cima disso, e a responsabilidade maior é do técnico, que escala”, concluiu.

O treinador ainda falou da falta de credibilidade que recebe sobre o assunto e fez um desafio aos jornalistas presentes.

“Vou pegar mais um dado. Pegue uma entrevista do Guardiola que está viralizando toda hora. Ele vai falar de ciência. Se não querem ouvir Tite e Fábio Mahseredjian (preparador físico do Fla), ouça. São fatos verdadeiros”, orientou.

Para o duelo, o técnico optou por um Flamengo com três zagueiros, uma formação que pouco foi utilizada desde a chegada do treinador.

“As características da equipe do Bolívar são as seguintes: eles têm dois externos e infiltrações centrais. Ela utiliza essa coordenação de movimentos. Ideia inicial com linha de cinco era tirar esses jogadores de lado de cruzamento e essas infiltrações centrais com o tripé do meio-campo. Mas nós não estávamos com posse de bola. A gente trouxe o Léo Ortiz para ser meio-campista, e a equipe começou a se reestruturar”, comentou.

Elogios ao Bolívar

Além de analisar o resultado e partida do Flamengo, Tite fez questão de exaltar o bom momento do time boliviano que venceu os três jogos disputados na Copa Libertadores.

“O Bolívar está muito bem estruturado e muito bem treinado. Méritos ao seu técnico. Ele tem tido um desempenho assim nos outros jogos. Também em casa ele faz valer o mando com a qualidade e imprimindo um ritmo forte. A gente olha o futebol sob duas perspectivas. Olha a nossa, mas tem que ter o cuidado de não ser egoísta e olhar para o outro lado, que tem um bom trabalho”, afirmou.

O Flamengo volta a campo no domingo (28), às 11h (de Brasília), diante do Botafogo, pela quarta rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O Flamengo soma sete pontos em três jogos no nacional.

Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

versão original

Veja Também.

Rolar para cima